Atenção Visitantes do Blog

Todos são bem-vindos e esperamos que o conteúdo seja edificante para a sua vida. Não se esqueça de deixar seu recado e participar de nossa enquete. Mais notícias e conteúdos em: http://www.comunidadeluz.com/

sábado, 18 de outubro de 2008

A Paixão Pelo Discipulado


          Durante tantos anos da minha vida ouvi a palavra “discipulado” sem compreender a essência de seu significado e desafio. Parecia mais uma entre estas coisas que se ouve tanto na Igreja, mas que ninguém sabe direito o que é.
          Há 15 anos, ouvi do Pastor David Kornfield (SEPAL), uma definição que parecia apontar um caminho : “O discipulado é um relacionamento vivo e pessoal, onde um discípulo de Jesus mais maduro auxilia outros discípulos a caminhar e amadurecer em sua jornada com Jesus.” Esta definição apontou a essência, porém faltava um modelo objetivo e a motivação correta para vivenciá-lo.
          Nos últimos três anos de meu ministério, cheguei à compreensão mais plena e a um modelo efetivo de prática deste valor central para a sobrevivência da Igreja neste século. No entanto, ao deparar-me com estas descobertas, fui confrontado comigo mesmo: só poderia viver o discipulado se me apaixonasse totalmente por esta filosofia de ministério. 
 As palavras do renomado Rev. Jonh Oak, discipulador de discipuladores, expressam este dilema : “Se havia um tempo que os pastores não podiam tentar com suas próprias mãos o discipulado devido ao mau entendimento e falta de conhecimento, hoje há muitos pastores que têm medo de começar porque eles sabem 'o que é' e 'o que isto os levará'. Eles sabem que fazer o discipulado tem um grande preço a pagar. Há um só modo para o pastor que deseja fazer o discipulado, ele tem de se tornar louco em relação ao treinamento de discípulos.”
          O discipulado, hoje, é a essência do meu pastorado. E meu desejo é impregnar seu valor essencial como elemento absoluto de nossa comunidade. Minha convicção sobre este árduo caminho reside na verdade elementar de que Jesus viveu, morreu, ressuscitou em favor de Seus discípulos e Sua ordem expressa a eles (e a nós) foi : “Ide, fazei discípulos de todas as nações ...” (Mateus 28:19). Se nosso maravilhoso Mestre pagou tão alto preço, só nos sobra o caminho de trilharmos as suas pisaduras.
          Sejamos todos apaixonados pelo discipulado !

Rev. Jean Chagas
revjean@comunidadeluz.com

.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sinópse do Sermão - A Verdadeira Espiritualidade


(Sermão baseado em Marcos 7.1-23, ministrado na Igreja Luz dia 14/09/2008, pelo Rev. Jean Chagas)



Há um terrível surto em processo na igreja evangélica brasileira. Fatos inimagináveis têm se multiplicado na prática de muitas comunidades locais. Parece um tipo de esquizofrenia evangelical. Crentes que se auto-exorcizam, rosas místicas, sal purificador, varinhas e cruzes energizadas entregues aos fiéis, etc. Onde vamos parar com esta paranóia?


Em outra vertente, reerguer-se com vitalidade um conservadorismo "neopuritanístico" como reação a todas estas coisas. Discussões do tempo dos meus avós voltaram aos ambientes dos concílios. Tais como: o bater palmas, o uso de determinados instrumentos no culto, a sacralização dos espaços de celebração, a oportunidade ou não para mulheres ministrarem na igreja, a liberdade da expressão corporal no culto, etc.


Assim, alguns graves perigos à verdadeira espiritualidade tomam força e ameaçam a vitalidade da comunhão do povo de Deus com o seu Senhor. Destacaria quatro grandes perigos:


1. O Tradicionalismo - Alguém já escreveu: "Tradição é a fé viva dos antigos. Tradicionalismo é a fé morta dos vivos." O grande perigo do tradicionalismo é que ele se apresenta de modo sutíl como uma interpretação inequívoca da Escritura e do mundo. Assim, de modo disfarçado, o tradicionalismo se impõe como dogma, anulando a autoridade única da Palavra de Deus. Isto engessa historicamente a Igreja, destruindo a contemporaneidade de sua mensagem.

2. O Legalismo - Tal fenômeno conduz à ideia de uma relação de mérito com Deus, menosprezando a graça de Jesus. Leva as pessoas a serem escravas de regras e ritos, ao invés de crescerem na idoniedade como cristãos capazes de aplicar princípios as diversas realidades da vida. É uma boa opção para aqueles que não desejam crescer através da reflexão e do bom senso, haja visto que no legalismo alguém já pensou e definiu por todo mundo.

3. O Sincretismo Religioso - Um tempo atrás um irmão me mostrou a embalagem de um sabonete de arruda recebido num culto evangélico. Ora, o que levaria um líder evangélico a aconselhar seus irmãos a banharem-se com arruda para espantar "mal olhado"? Sabemos que isto não provém da fé cristã. Nada mais é do que um elemento da religião não cristã absorvido por uma corrente que se proclama genuinamente evangélica. Esta mistura religiosa é perniciosa à verdadeira espiritualidade.

4. O Relativismo Moral - O pecado não pode ser definido por minha opinião pessoal ou pela conveniência das situações que me cercam. Iniquidade é tudo aquilo que o próprio Deus definiu como contrário à sua vontade e impuro aos seus olhos. A relativização do certo e do errado tem custado a saúde espiritual de muitas pessoas e igrejas locais.


Em Marcos 7 Jesus têm um confronto direto com os fariseus em detrimento do entendimento da verdadeira espiritualidade. O ponto de partida é uma controvérsia sobre o que contamina o homem. O que para nós é apenas um problema de natureza sanitária, para os fariseus era um problema de ordem espiritual: O comer com as mãos impuras! Diante deste embate, Jesus denuncia como a tradição dos líderes religiosos levava as pessoas a uma falsa compreensão da relação espiritual delas com Deus e com o mundo.


Assim, quero destacar três princípios que Jesus ensina nesta passagem, que podem equilibrar nossa comunhão com Deus, preservando-nos dos perigos à nossa espiritualidade:


1. Precisamos nos manter cativos à Palavra de Deus (v. 6-8) - A tradição dos líderes religiosos, que se propunha a ser uma interpretação da Lei, havia se sobreposto sutilmente como uma oposição à própria Lei. Nosso compromisso maior precisar ser com a Escritura. Nos submetemos aos líderes até que estes sejam fiéis à Palavra. Não podemos trocá-la por tradições, conjunto de leis, ou misturá-la com outras práticas religiosas. Não podemos relativizá-la por nenhum tipo de conveniência pessoal.

2. Precisamos mensurar nossa espiritualidade a partir da saúde de nossos relacionamentos (v. 11-13) - Os fariseus ofereciam uma oferta a Deus para se sentirem desobrigados em honrar seus pais. Pensavam que era possível manter a saúde da relação vertical sem cuidarem da horizontalidade de seus relacionamentos. Nosso Senhor resumiu a Lei e os Profetas em amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. O diagnóstico e a cura de nossa espiritualidade está no cuidado e na saúde de nossos relacionamentos.

3. Precisamos cuidar do mundo interior para termos verdadeira espiritualidade (v. 18-23) - Para os fariseus, a saúde espiritual dependia do trato com elementos externos. Nosso Senhor, porém, se opoz a tal compreensão demonstrando que nossa impureza encontra-se no mundo interior. É de lá que brotam as imundícies. Deus deseja tratar-nos de dentro para fora. É necessária a coragem de expor esta realidade interna e negra que nos assola se desejamos saúde espiritual. Não devemos fugir, mas nos apresentar como somos para sermos purificados.


Tradicionalismo, legalismo, sincretismo religioso e relativismo moral podem destruir nossa comunhão com Deus e nos afastar da verdadeira espiritualidade. O caminho da real busca deve nos levar de volta para a Palavra de Deus, em sua singularidade e simplicidade. É o caminho que propõe tratar-nos os vários níveis de relacionamento para que nossas orações e busca não sejam interrompidas. É o caminho de olharmos para dentro, onde está o verdadeiro mal e a fonte de nossa impureza. Somente este caminho irá nos conduzir à verdadeira espiritualidade.

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

“Parábola da Nossa Vida”


          Sermão baseado no texto de Lucas 15:11-24, ministrado na Igreja Luz no dia 31 de agosto de 2008 pelo seminarista Ericson Martins (contato@projetoperu.com).
.


INTRODUÇÃO :
          Freud analisou o ser humano e concluiu que “o melhor que pôde encontrar do ser homem é lixo.” À medida que conhecemos a natureza humana e à medida que vamos tomando conhecimento das crueldades que são capazes, descobrimos que de fato, Freud tinha alguma razão. 
          Esta consciência verdadeira a cerca da nossa natureza é perturbadora. A maioria se esforça o tempo todo para ser aceito por si mesmo, queremos convencer os outros o tempo todo o melhor que há em nós mesmos porque não admitimos esta realidade; fazemos isto usando a melhor roupa, usando as melhores palavras para expressar melhor dos nossos sentimentos, ... só que mais cedo ou mais tarde nos defrontaremos com nossa real natureza.
          As maiores feridas e decepções que podemos sofrer vêm das pessoas que mais amamos. Eles assumem proporções, por esta razão, esmagadores em nossa alma. Por isto é tão comum vermos pais que desistiram dos seus filhos. Desistiram de corrigi-los porque não suportam mais “falar, falar e falar e não serem ouvidos seus conselhos”, desistiram de educá-los, discipliná-los, abandonando-os aos seus próprios destinos, segundo o curso que eles mesmo querem sem considerar a responsabilidade paterna. 

A Organização Pan-Americana de Saúde fez uma pesquisa recentemente em escolas de 17 capitais brasileiras e concluiu que 42,5% dos jovens goianos entre 12 e 16 anos já experimentaram o cigarro no mínimo uma vez (Organização Pan-Americana de Saúde, http://www.opas.org.br, divulgado em O Polular, 28/08/2008). 

          Por outro lado vemos comumente filhos que desistiram dos pais, fugindo de casa, se trancando no quarto para não ouvi-los mais, como se a palavra deles não fizesse mais sentido e então, uma grande massa de jovens e adolescentes, mesmo completamente imaturos para assumem independência emocional e financeira dos pais, anseiam levianamente pelo dia da separação, da chamada liberdade para nunca mais prestar contas a eles.
          A Parábola do Filho Pródigo é a Parábola da Nossa Vida porque não podemos encontrar o Senhor que é capaz de restaurar nossa alma para a vida, mas somos vulneráveis ao Seu encontro com nossa realidade. Ele veio e vem ao nosso encontro e ao encontrar-nos se alegra grandemente. 
.
NARRAÇÃO :
           Reuniram-se, certa vez, um grupo de pessoas consideradas para o status quo religioso nos dias de Jesus, pessoas desprezíveis e ameaçadoras do ponto de vista moral. Entretanto, Jesus os “recebia e comia” com eles enquanto ensinava as verdades concernentes ao Reino de Deus. Criticado pelos mestres da Lei, propôs três parábolas : A Ovelha Perdida, A Drácma Perdida e o Filho Pródigo. Todas trazem em si a síntese do valor que tem a singularidade do homem perdido para Deus, razão que justifica a busca persistente do “pastor” e da “mulher” que perdera a drácma, e especialmente do “pai” que vai ao encontro do filho quando o vê de longe a caminho de casa. As três parábolas apresentam também uma característica comum : a alegria do reencontro que resulta em grandes festas.
.
TESE : 
          Por causa da nossa natureza e conseqüentemente nossas intransigências moral e religiosa, fazemos escolhas que não se conformam com o verdadeiro propósito de Deus para nós, no entanto, o plano da redenção é eficaz para nos resgatar da apatia quanto ao nosso estado pecaminoso e nos restaurar para sempre por meio de Jesus Cristo que vem ao nosso encontro, sara-nos e re-estabelece a comunhão com o Pai. 
.
1. Suas decisões determinam suas experiências (vs. 11-16);
          No caso do “Filho Pródigo”, muitas seriam as abordagens se passasse um psicólogo, um existencialista, um médico, um político, um amigo, etc. e visse aquele rapaz trabalhando em extrema humilhação entre os porcos (para a cultura judaica era o pior que poderia acontecer). Mas poucos, certamente diriam que aquele jovem estava vivendo naquele estado por causa das decisões que tomara em sua vida.
          Estava em casa, na comunhão do Pai e com todas as suas necessidades supridas, mas decidiu deixar tudo para traz em busca de uma vida independente e “livre” dos cuidados do pai. O resultado foi assustador : perdeu a herança, os amigos, começou a passar necessidade e por fim, teve de encarar um contexto de vida vergonhoso “diante dos céus e diante do pai”.
          A realidade do pecado e suas conseqüências não são omitidas no texto, nem para a realidade do ser humano. Esta realidade necessita ser admitida e confessada mediante arrependimento diante de Deus, do contrário, a humilhação imposta pelo pecado e a distância de Deus só trará conseqüências ainda maiores para a eternidade.
.
2. Melhor é viver aonde é valorizado do que onde é explorado (vs. 17-19);
          O pecado humilha e explora a consciência do homem com a culpa. A impressão que se tem é que em qualquer lugar ou condição que possa viver e estar, o homem é sempre infeliz, incompleto, frustrado e confuso quanto a razão de ser e viver. A maioria, fora da comunhão com Deus e sem orientação bíblica, perde relacionamentos preciosos por decisões e escolhas totalmente equivocadas que poderiam ser evitadas e sofrem a dura sensação de estar só. A senso de distância de Deus e a solidão que permeia a história de muitos só pode ser solucionado se, convencido pelo Espírito Santo, tomar uma segunda decisão : buscar a presença do Pai, voltar atrás (arrependimento).
          Na presença de Deus, ainda que todos desistam de nós, Ele não desiste. Somos valorizados não porque há um motivo em nós para isto, mas porque Deus em Sua rica misericórdia escolheu nos amar e nos redimir pela morte eficiente de Jesus Cristo. Esta ação de Deus a nosso favor transforma nossa realidade segundo o propósito maravilhoso que Ele tem para cada um de nós, dando-nos uma nova oportunidade de vida.
.
3. O caminho de volta é sempre melhor que suportar a culpa (vs. 20-24);
          Aquele jovem poderia relutar e persistir dizendo para si : “Não posso voltar, será humilhante demais para mim depois de tudo que já fiz !”, mas não poderia suportar mais a consciência da sua culpa mediante as “besteiras” que fez. Embora envolvido em profundas conseqüências, não havia perdido concepção de quem era o pai, de quem é Deus. E reconhecendo a força da Sua paternidade, se levantou e voltou pelo mesmo caminho. Cada passo de volta aumentava ainda mais a ansiedade de reencontrar o pai. De longe, diz o texto, o pai o viu, correu ao seu encontro e o abraçou intimamente. O perdoou e o recebeu na condição de filho. Ali, na presença do pai novamente, pôde ser restaurado e participar da alegria de muitas pessoas porque havia sido encontrado pelo pai.
          Voltar é arrepender. Voltar é reconhecer que não há salvação resultante do nosso esforço empreendido na auto-justificação. Voltar é negar quem somos (nossos projetos existenciais) para admitir aquele que é de Deus por meio de Jesus. Há sempre uma esperança para aquele que volta-se para Deus arrependido. 
.
CONCLUSÃO :
          A Parábola do Filho Pródigo nos apresenta um pai que tem dois filhos, na realidade há dois pólos : fariseus e escribas - a ala da religiosidade unilateral, da Lei sem amor, da falsa moralidade, da performance, da devoção expressa pelo comportamento exterior, não necessariamente correspondendo a uma realidade interior como do outro lado da experiência e da sociedade humana - os publicanos e pecadores. Aqueles que por não serem semelhantes ao restante já estão condenados moralmente pela força daqueles que se declaram merecedores de Deus. O filho mais velho se sente maduro por ter vivido mais tempo em casa e por trabalhar mais, por isto odeia a idéia de o filho mais novo ser agraciado pelo Pai depois de tudo o que fez, porque ele pensa que sua suposta fidelidade deve ser retribuída pela penalidade do outro. Ele odeia tanto quem não é fiel ao Pai como ele é que nem consegue viver o que tem. Ele não reconhece com gratidão ser quem é, e neste indivíduo que não é grato por ser filho ao se comparar com o mais novo o inveja, e é neste mesmo que a graça lhe faz mal. Mas o filho mais novo, embora tivesse cometido muitos pecados e se afastado do pai, descobre que realmente não há lugar melhor para estar em sua presença e, arrependido, assume uma nova decisão, recorrer a ele confiante em seu perdão e aceitação.
          Esta Parábola pode ser chamada de parábola da nossa vida porque reflete, de fato, nossa história. Ou assumimos quem somos e quem Deus é para nós fundamentados nas verdades bíblias, ou fingiremos ser quem não somos para garantir o status espiritual e ritual que não comunica graça de Deus. Aqueles que reconhecem sua pecaminosidade e se arrependem desfrutam da comunhão com Deus porque Deus providenciou o meio de resgatá-los para a vida eterna em Cristo. A estes a graça de Deus é alegria para viver. A estes lhe é concedido a oportunidade de reorganização dos valores, dos relacionamentos, dos sentimentos, ... de forma que nem mesmo a pior tribulação ou acusação deste mundo poderia arrebatá-los das mãos do Senhor, permanecem firmes para todo sempre.
.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Nossa Identidade - Simonton: O Perfil de um Pioneiro


(Texto do Historiador da IPB Rev. Alderi Souza de Matos - Ashbel Green Simonton foi o missionário pioneiro e fundador do presbiterianismo brasileiro)


Um personagem só pode ser compreendido se levarmos em conta sua formação, as influências que recebeu, os fatores que contribuíram para moldar sua personalidade e seu caráter.


O primeiro dado importante acerca do rev. Simonton é sua nacionalidade. Quando ele nasceu (1833) em West Hanover, na Pensilvânia, os Estados Unidos eram ainda uma nação jovem, tendo conquistado a independência há pouco mais de meio século. O novo país se orgulhava de suas instituições democráticas, de seu apego às leis, de seu sistema educacional, de seu progresso econômico e social. Ao mesmo tempo, havia tensões crescentes: as diferenças entre o Norte o Sul, o problema da escravidão, o aumento da imigração católica. Esses fatores marcaram profundamente o jovem Simonton à medida que se preparava para a vida adulta, como se pode perceber em seu diário. Outra influência fundamental foi a fé presbiteriana que herdou de seus pais, descendentes dos célebres escoceses-irlandeses. Sua mãe era filha de um pastor e seu pai um honrado médico e homem público, tendo representando seu estado no Congresso americano, em Washington. O casal deu ao filho caçula Ashbel e a seus muitos irmãos uma educação aprimorada, marcada por sólidos valores éticos e religiosos. Um terceiro fator que marcou a trajetória de Simonton foi a tradição puritana, tão importante na história dos Estados Unidos. Um legado dessa tradição foi o grande fervor espiritual, a intensa busca de comunhão com Deus que contribuiu para os freqüentes avivamentos da época. Em um deles, ocorrido em 1855, o jovem presbiteriano se converteu e sentiu despertar em seu íntimo a vocação ministerial, ingressando no Seminário de Princeton. Outro elemento significativo de sua formação resultou de uma mescla dos anteriores. Desde o início, os americanos se sentiram um povo especialmente aquinhoado por Deus, escolhido para levar a outras nações os mesmos benefícios que havia recebido. Essa convicção, mais tarde denominada “destino manifesto”, se associou aos avivamentos para produzir um extraordinário movimento missionário de âmbito mundial que se estendeu por todo o século 19 e o início do século 20. Atraído por essa visão durante os estudos teológicos, Simonton desistiu de ser um pastor em seu próprio país e resolveu dedicar-se à causa das missões estrangeiras. Assim sendo, o jovem pregador, que chegou ao Brasil no dia 12 de agosto de 1859, estava bastante preparado e motivado para seu difícil trabalho. Tinha excelente formação intelectual, um caráter íntegro e grande entusiasmo pela tarefa que entendia ter recebido de Deus. Vencidos os desafios iniciais de aprender o idioma e se adaptar a uma cultura tão diferente da sua, ele se lançou com afinco à sua missão. Metódico, operoso e perseverante, Simonton lançou em poucos anos as bases do presbiterianismo brasileiro, criando várias estruturas pioneiras: a primeira igreja (1862), o primeiro jornal (1864), o primeiro presbitério (1865) e o primeiro seminário (1867). Apesar da grande dor que sentiu ao perder a jovem esposa, reuniu forças para dar continuidade às suas atividades evangelísticas e pastorais, encerrando sua carreira prematuramente aos 34 anos de idade (1867), na cidade de São Paulo, vitimado pela febre amarela. Não sabemos o que mais Simonton teria realizado se tivesse tido uma vida mais longa. É razoável supor que, sob sua liderança prudente e equilibrada, a caminhada da nova igreja teria sido mais tranqüila e talvez a divisão de 1903 não viesse a ocorrer. Mas isso é entrar no terreno das conjecturas. O importante, ao comemorarmos o 149º aniversário da chegada desse missionário fundador ao Rio de Janeiro, é lembrar com gratidão seu idealismo e desprendimento, seu amor pelo povo brasileiro, sua profunda dedicação a Cristo e ao projeto de vida que abraçou. A Igreja Presbiteriana do Brasil terá muito a se beneficiar se os seus líderes, ministros e membros forem imbuídos desse mesmo espírito, o que irá resultar em maior coerência e fidelidade no cumprimento de sua missão na sociedade brasileira.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Meditação - Pedro nega Jesus


(Leia Mateus 26.69-75 e meditemos juntos)


Resumo do Ensino do Texto:

A profecia de Jesus se cumpre e Pedro descobre o que ele próprio era capaz de fazer: capaz de negar, capaz de trair, capaz de se acovardar! Diante de pessoas comuns ele nega aquele que o havia amado e aceitado de forma tão intensa e verdadeira. Pedro descobre Pedro. E acaba tendo que reconhecer que o próprio Jesus o conhecia melhor do que ele mesmo. O que lhe sobra é o choro amargo da auto-decepção.


Lições para Minha Vida:

1. Não sou melhor do que Pedro. Sou capaz de coisas vergonhosas e decepcionantes. Portanto, dependo plenamente da graça de Deus para me sustentar no Caminho;

2. Se o meu Mestre foi traído por seus amigos íntimos, o que devo esperar dos homens? Preciso estar consciente da minha capacidade e da capacidade dos outros de trair e pecar contra seus irmãos. Só isto me habilitará a ter um coração preparado para o perdão;

3. Pedro me ensina que diante do erro eu preciso chorar o terrível gosto do arrependimento. Assim, o Mestre me visitará para restaurar a alma.


Minha Oração:

"Senhor, quando eu cair, levanta-me. Quando eu trair, perdoa-me! Não deixe a minha boca negá-lo. Mas, se tão longe eu for, derrama a minha alma no amargo choro do arrependimento. Pois sei que assim haverá cura, como houve para Pedro. Em nome de Jesus, Amém!"

Sinópse do Sermão - Um Vislumbre do Getsêmani

(Foto do Jardim do Getsêmani em Jerusalém)
Sermão baseado no texto de Lucas 22.39-46, ministrado na Igreja Luz no dia 24 de Agosto de 2008.


Introdução:

Quero convidá-lo a visitar um jardim. Na verdade, assemelha-se mais a um bosque. Seu nome rebuscado e convidativo significa apenas o "lugar do moinho das olivas". Mas nele podemos contemplar nosso Mestre num dos momentos mais profundos que revelam sua angustia diante do sacrifício que lhe seria imputado em função de nossa redenção.



Narração:

Depois da Ceia no cenáculo, com um longo e difícil diálogo com seus discípulos, Jesus vai ao costumeiro lugar de refúgio e oração. A angústia tomara sua alma, pois a fronteira entre os anos de ministério e o momento de sua paixão havia chegado. O Getsêmani, portanto, é o lugar de preparo donde as condições plenas precisavam ser construídas para o longo sofrimento que se aproximava rapidamente. Ali, três discípulos são chamados como testemunhas e companheiros de agonia. Mas a única coisa que podem oferecer a seu Mestre é o profundo sono da tristeza.


Tese:

Nosso Mestre derramou sua alma no jardim. Como discípulos, necessitamos do Getsêmani, pois nele encontraremos o lugar de restauração da alma. Adentremos ao Jardim para derramarmos o coração diante do Pai.



Tema: Que Lugar é o Getsêmani?



1. O Getsêmani é o lugar de depositarmos a tristeza e o choro (v. 44);

Neste lugar nosso Senhor derramou sua tristeza diante do Pai. Ali, seu suor converteu-se em sangue, num processo de resposta psicossomática diante da intensidade de sua angustia. Necessitamos do lugar do choro, onde depositamos nossa tristeza e angústia diante do Pai.


2. O Getsêmani é lugar de vigilância e oração (v. 40-46);

A atitude de Jesus contrasta-se com a postura de seus discípulos. Jesus os conclama à vigilância e oração no Jardim. Temos uma realidade espiritual que nos leva a ter desejo e sede por Deus, mas militamos contra uma natureza carnal que nos inclina para aquilo que nos tenta(conf. Mt 26.41). Precisamos do Getsêmani para sermos restaurados em nossa disposição de vigiar e orar.



3. O Getsêmani é lugar de rendição (v. 42);

A oração mais enigmática feita por Jesus, e que conhecemos, está registrada neste verso. De algum modo, Cristo revela não ser o seu prazer a dor, a separação e a solidão. Jesus não fingiu ser homem, ele é Deus encarnado na natureza humana. Portanto, a dor doía nele como em nós. Porém, no Jardim, ele converge todo seu querer em rendição plena à vontade do Pai. Necessitamos do lugar que nos leva a render nossa vontade em obediência plena ao querer do Eterno.



Conclusão

O Getsêmani é o jardim onde aprendemos com Cristo a derramar nossas tristezas e angústias diante do Pai. Onde somos chamados à vigilância e oração. É o lugar de nossa rendição, conformando nossa alma com a vontade de Deus. Para nós, não é uma aproximação geográfica, mas sim uma aproximação de nossa alma, é o nosso jardim de restauração. No Getsêmani nosso Mestre foi confortado e fortalecido. Em nosso "Jardim Secreto" acharemos a mesma dádiva do coração do Pai.




segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Conversão dos Pais aos Filhos e dos Filhos aos Pais!



O Antigo Testamento termina com uma profecia relativa ao ministério de João Batista: Ele converteria o coração dos pais aos filhos e dos filhos aos pais (observe Malaquias 4.5-6 e Mateus 11.14-15).





Porém, em nenhum lugar das Escrituras existe um registro direto de que este aspecto do ministério de João tenha sido desempenhado. Tudo leva a crer que o próprio João Batista se quer teve família.





Para entender como o ministério de João foi capaz de converter pais a filhos e filhos a pais precisamos olhar para a essência de sua mensagem. Nela está contido o "antidoto" capaz de sarar famílias e reconstruir relacionamentos.





Mateus nos informa que o centro da mensagem de João era o arrependimento (Mt 3.2). Ele conclamava as pessoas a uma auto-avaliação de seus caminhos, escolhas e valores. O propósito era a conclusão óbvia de onde a iniqüidade e a dureza de coração estava a conduzir a existência e história de seus ouvintes. Eles deveriam, portanto, produzir os frutos que caracterizam o verdadeiro arrependimento.





Mas João cumpria um ministério ainda mais objetivo. No evangelho de João, no capítulo primeiro, vemos, através do relato do evangelista João, João Batista testemunhar sistematicamente sobre o "cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo". Ele desafiava ao arrependimento que deveria culminar com frutos próprios desta atitude, porém, apontava também para a pessoa de Cristo como a solução perene e necessária contra o poder do pecado.





João converteu muitos pais a seus filhos e filhos aos seus pais ao evocar o quebrantamento ao passo que convidava as pessoas a assumirem Jesus como o remédio de Deus para as suas transcressões. Não há lugar de maior impacto de um coração quebrantado e arrependido que se rende a Cristo do que o seio da família.





Pode-se conhecer a verdadeira natureza da conversão quando o seu fruto é a reconstrução dos relacionamentos rompidos. Esta é uma grande evidência do fermento do evangelho nos corações.





Jean Chagas.

sábado, 2 de agosto de 2008

Chegada em Goiânia


Queridos,


Que alegria estar de volta. Chegamos hoje, às 10h30 da manhã, na rodoviária de Goiânia. Havia um alegre "comissão de boas-vindas" composta por parentes e irmãos da LUZ. Na nossa bagagem, além das costumeiras lembrancinhas de viagem, muitas experiências novas e frutos para o Reino.


Ámanhã teremos a oportunidade de partilhar os resultados na Igreja. Creio que, somente neste momento, será possível dimensionar o impacto do trabalho deste ano. Penso que um dos grandes desafios para a Igreja Luz é ter a visão tão alargada quanto Deus deseja que tenhamos.


Agora é a hora de fortalecer as outras ações da Igreja: as Candeias, o discipulado, a agenda de atividades focada em nossa filosofia de ministerio. O maior desafio é o de preparar a Igreja para sua futura breve organização.


Louvo a Deus por você ser parte deste sonho real e objetivo, de uma comunidade comprometida com o cristianismo vivo, e que deseja conhecer a cada dia a face de seu Maravilhoso Mestre!


Vamos juntos nesta jornada.


Jean Chagas

terça-feira, 29 de julho de 2008

Última Etapa - Hora de Glorificar a Deus pelos Resultados!




Amados,



Chegamos ao final das atividades ministeriais em nossa viagem. No domingo, Ericson pregou na Igreja La Vid no culto das 16h e eu ministrei no culto das 18h30. Falamos para mais de 1000 irmaos peruanos, desafiando-os a alcançarem seu país para Cristo. O Pr Luiz, dirigente da Igreja, nos recebeu com muito amor e atençao.



Anteriormente, na sexta e sábado, nossa equipe se subdividiu para alcançar um número maior de crianças no trabalho de evangelizaçao. Assim, estivemos em duas comunidades afastadas da cidade e, no sábado, auxiliamos 4 células infantis da Igreja Assembléia de Dios.



Ontem e hoje a equipe está liberada para preparar o retorno ao Brasil. Temos um jantar de despedidas na Assembléia de Dios hoje à noite e amanha começamos a viagem de retorno. A esta altura dois sentimentos antagonicos nos acompanham: o desejo de fazer mais por este povo e a ansiedade de chegarmos no Brasil para revermos familiares, amigos e irmaos.



Os resultados da viagem estao sendo computados. Parece-me que a soma dos esforços de tantas pessoas gerou um forte impacto no alcançe de muitas vidas. No próximo domingo, na Igreja Luz, estaremos visualizando os números e glorificando a Deus por seus maravilhosos feitos. Espero ver a alegria estampada na face da Igreja.



Um grande abraço,

Jean Chagas

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Dificil:sim! Impossível: de jeito nenhum! - 2




Queridos,


Infelizmente o carregamento de bíblias que nos havia sido garantido nao chegou. Por isso, estamos reestruturando as nossas atividades neste final de trabalho. Vamos intenstificar a evangelizaçao infantil e fazer o trabalho de apoio as Igrejas locais.


Hoje eu estive em uma grande rádio de Cusco e toda a equipe está preparando material para a jornada de impacto infantil. Amanha vamos para a comunidade de Pumamarca. Também foi confirmado que estaremos ministrando na Igreja La Vide em Cusco no domingo.


Para que os irmaos entendam o processo com a sociedade bíblica peruana, posto, a baixo, a carta de esclarecimento escrita pelo Sem. Ericson, coordenador do trabalho.


Que Deus abençoe a todos.

Jean Chagas


NOTA DE ESCLARECIMENTO


Nosso objetivo neste ano era distribuir 1.000 biblias no Peru atraves da evangelizacao pessoal. Durante o trabalho percebemos a necessidade de comprarmos mais 400 biblias para atender o restante do trabalho entre as comunidades de Cusco. Entramos em contato com a Organizacao americana The Outreach Foundation PCUSA para solicitar apoio e generosamente atenderam nosso pedido enviando 50% do valor estimado (U$ 685) para a compra destas unidades. A Igreja Presbiteriana Luz em Goiania-Go no Brasil se mobilizou e completou o valor enviando mais 50%.

No dia 9 de julho estávamos na cidade de Abancay, Estado de Apurímac no Peru. Ja no início do trabalho percebemos que as 1.000 unidades da bíblia que compramos seria pouco para todo o mês de trabalho. Entao liguei para a Sociedade Biblica Peruana e falei diretamente com o Pr. Juan Chang. Ele nos passou o valor de S/. 7 para a compra de mais 400 biblias e que em tres dias, depois da confirmacao do pedido, chegariam em Cusco. Esperamos a Fundacao enviar os recursos e a tambem a Igreja Presbiteriana Luz. No dia 15 de julho estavamos na cidade de Urcos no Estado de Cusco e liguei novamente para a Sociedade Biblica Peruana para solicitar as 400 biblias. A pessoa que me atendeu chamada Rosario disse que o Pr. Juan Chang havia se retirado para ferias e nao aceitou a venda da biblia por S/. 7, mas por S/. 9. Com os recursos que tinhamos em maos nao poderiamos comprar com este valor mais 400 biblias. Ela nos ofereceu outra biblia e so poderia nos vender ao preco de S/. 8. Entao, para que os recursos cobrissem o valor total solicitei 350 biblias. Ela me garantiu que na sexta-feira daquela semana as biblias estariam em Cusco. Cheguamos de Urcos e novamente viajamos para a cidade de Tinta e so retornamos na segunda-feira, dia 21. Nao tinhamos mais biblias em Cusco para utilizarmos durante os trabalhos que ainda restavam. Ficamos surpresos quando chegamos em Cusco e nao havia chegado as biblias. Liguei na Sociedade Biblica, disseram que enviariam naquele dia e que chegariam no dia seguinte. E novamente nao enviaram dizendo que houve problema com a transportadora, mas tambem nao enviaram no dia seguinte. Em funcao disso, o trabalho planejado foi prejudicado e a equipe ficou sem atividade nestes dias.

Como estaremos retornando na proxima semana para o Brasil, nao ha mais tempo para usarmos de forma criteriosa as 350 biblias que estavamos esperando. Isto nos trouxe muitas tristezas, entretanto, estamos refazendo o planejamento do trabalho que ainda resta e mudamos algumas estrategias. Nossa decisao e de nao comprarmos mais estas unidades da Sociedade Biblica Peruana e lamentamos que tenha faltado atencao para conosco com relacao a este pedido.

Foi uma semana insistindo para que enviassem estas biblias e estavamos preparados para fazer o pagamento. Fizeram compromisso conosco tres vezes e nao cumpriram. Tudo o que estava ao nosso alcance fizemos. Agora, o que nos resta e dar uma satisfacao aos nossos investidores porque o Projeto Peru é uma Organizaçao que zela pela transparencia e seriedade.

Compramos biblias da Sociedade Biblica Peruana desde 2002, mais de 7.000 unidades neste periodo, e nunca tivemos um problema desta natureza. Sempre efetuamos os pagamentos corretamente e somos muito agradecidos pelo apoio que sempre nos deram para que o trabalho de evangelizacao que realizamos no Peru a seis anos alcancasse o exito que tem. Esperamos que esta relacao seja ainda mais transparente para a gloria de Deus.

350 pessoas que nao tem biblias nas comunidades de Cusco nao receberao, mas isto esta fora da nossa responsabilidade.

Estaremos fazendo contato com os investidores e iremos propor a devolucao dos recursos que enviaram.

Sem mais,


Projeto Peru
Ericson Martins, coordenador
contato@projetoperu.com

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Dificil:sim! Impossível: De jeito Nenhum!





Queridos,

Estes dias foram marcados por algumas dificuldades: além do desgaste natural da equipe em termos de saúde e cansaço, enfrentamos um problema burocrático com a Sociedade Bíblica Peruana. Isto fez com que as Bíblias que foram adquiridas em funçao da necessidade do trabalho chegassem atrasadas em Cusco, prejudicando a agenda que estava proposta.

Assim, adiantamos a folga da equipe e demos continuidade aos trabalhos da Igreja local. Como as Bíblias estao sendo descarregadas hoje, amanha nos dividiremos em duas equipes: a primeira irá para o Km 82 do caminho para Matchupichu e a segunda apoirá um pastor brasilerio que está plantando uma Igreja em Cusco. Conseguimos com este segundo trabalho agendar uma ida a uma grande rádio da cidade e também uma açao conjunta com a associaçao de moradores local.

Para um breve registro de nossas atividades nestes últimos dias, preguei no domingo na Igreja de Cusco e na segunda para líderes. Ericson falou para líderes ontém à noite. Hoje, uma equipe formada por mim, Carlos, Márcia e Pr Geovani fizemos evangelizaçao e contatos com o pastor brasileiro que está em Cusco. Gastamos um bom tempo na busca de resolver o empasse com a Sociedade Bíblica e graças a Deus tivemos êxito. O Senhor é tao bom que hoje tenho um teclado peruano com quase todos os acentos!

Estamos àrtindo para as últimas etapas de nosso trabalho gratos por tudo que Deus tem feito. Porém, estou certo que frutos e desafios ainda nos aguardam. Estou fortalecido pelos e-mails e notícias da Igreja Luz. Deus tem me dado uma linda e preciosa pérola para cuidar como Pastor. Que ele me capacite para ser um servo dedicado aos meus irmaos.

Com muitas saudades,

Jean Chagas

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Avança a Evangelizaçao



Queridos,


Chegamos em Pitumarca na sexta e logo percebemos a dificuldade com a alimentaçao e as condicoes de hospedagem. Nossa equipe, composta por mim, Márcia, Carlos Jr, Gustavo e Tatiane, trabalhamos até domingo pela manha neste distrito. Na maioria do tempo, fizemos evangelismo de casa em casa com distribuiçao da Palavra de Deus.


No sábado, reunimos crianças na praça para a evangelizaçao e orientaçao para higiene bucal. À noite, realizamos um culto público com 120 pessoas. Quando entreguei uma bíblia a um rapaz, ele encheu os olhos de lágrimas e me disse: "Perdi meu pai e minha mae está muito enferma. Hoje entreguei minha vida para Jesus e estou recebendo um Bíblia. Creio que um novo tempo está começando para mim!".


A equipe do Ericson partiu para Tinta e ainda nao regressou. Estou ansioso pelas notícias. A mulher que pastoreia as comunidades em Tinta é uma ex-guerrilheira do Sendoro Luminoso. Seu testemunho é muito impactante e estaremos compartilhando sua história no Brasil.


Preguei, ontem , na Igreja Local (Assembléia de Deus). Como a Igreja está passando por um momento dificil, o sermao, pela graça de Deus, teve um grande impacto.


Estamos cansados fisicamente e com muitas saudades de todos. Entretanto uma grande alegria invade os nossos coraçoes por tantos frutos que estao sendo colhidos. Toda a glória ao nosso Deus. Sabemos que os coraçoes dos irmaos estao unidos ao nosso.


Com muito amor por todos,

Jean Chagas

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Urcos e Huancarani - Desafios Transformados em Frutos.


(OBS: Nao e possivel o uso de acentos e alguns caracteres em funcao da precariedade do teclado e da maquina em uso no Peru)


Queridos,

Como o titulo sugere, os desafios iniciais quanto a etapa de Urcos e Huancarani foram transpostos, e muitos frutos foram colhidos. O frio, a alimentacao e a altitude de fato foram grandes obstaculos. Porem, os resultados nos dao um sentimento de que todo o esforco foi recompensado por frutos eternos e que glorificam o Pai.


Nossa equipe trabalhou em uma comunidade chamada Huancarani. como tivemos varias dificuldades iniciais relativas a transporte e definicao de hospedagem, o tempo passou rapidamente e vimos a necessidade de um trabalho maios ousado. O frio ja se intensificava, entao fui com o pastor local a prefeitura do povoado e, depois de compartilhar o evangelho com o prefeito, tive a autorizacao para uma pregacao na praca.


Foi um momento muito marcante. Enquanto Carlos, Gustavo e Marcia preparavam as Biblias, comecei a pregar em portugues. Tatiane me traduzia para o espanhol e o pastor local fazia a traducao para a lingua Quetchua. Deus moveu mutos coracoes e as conversoes foram numerosas. Entretanto, as Biblias eram poucas para uma necessidade tao grande.


No outro dia, debaixo de uma geada, fomos a uma pequena radio local, onde mais uma vez o evangelho foi anunciado. Agora, para toda uma regiao ligada por comunidades diversas. A tarde, conseguimos reunir 97 criancas para o trabalho de evangelizacao e orientacao de higiene bucal.


Enquanto isto, em Urcos. Nossa outra equipe formada por Ericson, Mirian e Geovanne, obtiveram tambem, grandes resultados. Conseguiram o espaco em duas escolas, podendo falar a mais de 1.000 criancas num unico dia. Alem disto, fizeram a evangelizacao pessoal na praca da cidade e visitaram o presidio.


Hoje foi um dia de descanso. Estavamos nos preparando para as novas realidades que temos pela frente. Depois de uma reuniao de equipe, resolvemos alterar de ultima hora o processo previsto. Minha equipe ira para Ptumarca (lugar ainda mais frio que Huancarani) e a equipe do Ericson ira para Tinta. Como nossa querida Iasmim se mostrou mais recobrada fisico e emocionalmente, ela ira acompanhar a equipe de Ericson.


A medida que o tempo passa, sentimos grande saudade do Brasil, da Igreja e da Familia. O cansaco cresce e tudo parece um pouco mais dificil. Porem, creio que Deus tem grandes coisas para fazer ainda atraves de nossas vidas.


Louvo a Deus pois reconheco o amor de meus irmaos e sei de suas oracoes. Isto e um grande balsamo para a alma.


Em Cristo,

Jean Chagas

terça-feira, 15 de julho de 2008

Uma Etapa com Grandes Desafios


Queridos,



Hoje estamos saindo para comunidades distantes e com um grau maior de dificuldade. Fazendo uma ratificaçao, as comunidades sao Urcos e Huancarani.



O trabalho será feito em dois dias e um dos grandes desafios é o frio. Estas regioes tem temperaturas mais extremas do que Cusco.



Devido o abatimento físico de nossa irma Iasmim, decidimos que seria melhor sua permanencia nesta etapa, na base em Cusco, aos cuidados dos irmaos amáveis da Igreja.



Outro desafio é a alimentaçao. As comunidades nao possuem boas condiçoes de higiene. Além disso, é uma ofensa ao povo deixar de comer a comida que lhe é oferecida.



Porém, estamos muito confiantes de que será um tempo de grandes bênçaos e conversoes. Estou empolgado com a possibilidade de conhecer uma irma que já foi líder no Sendero Luminoso e hoje é uma missionária extraordinária. Seu nome é Marcelina.



Um abraço, pois já estamos de saída.

Jean Chagas

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Termina a Etapa em Abancay




Queridos,

Depois de uma semana de intenso trabalho, terminamos a etapa de atividades em Abancay. Foram distribuidas mais de 550 Bíblias, e os números de manifestaçoes publicas de conversao foram muito significativo.

No sábado fizemos um trabalho com 93 crianças e depois, à noite, nossa equipe esteve com a juventude da Igreja local. O domingo foi marcado por dois eventos no teatro cultural da cidade. Na programaçao da noite, despedimos da Igreja.

Saímos nesta segunda às 6h da manha de volta para Cusco. A viagem nao foi muito facil porque muitos membros da equipe estavam com problemas relativos a alimentaçao em Abancay. Como a estrada é muito cheia de curvas vários de nós passamos mal.

Estamos hoje em Cusco para nos preparar. Amanha partimos em duas equipes para dois lugares diferentes: Chincha e Ptumarca. Visitaremos comunidades do interior que sao muito carentes. Creio que é uma etapa da viagem que traz desafios diferentes dos que já enfrentamos até entao. A alimentaçao é um deles, além do frio intenso característico destas comunidades mais altas.

Fiquei feliz em saber que a Igreja Luz já levantou parte do dinheiro para as Bíblias a mais que necessitamos. Estou certo de que Deus continuará a fazer grandes coisas durante este tempo.

Ore por nós!

Com amor e em Jesus,

Jean Chagas

sábado, 12 de julho de 2008

Das Ruas da Cidade até às Realidades Campesinas




Queridos,


Depois de visitarmos a prisao de Abancay, seguimos com o trabalho de evangelizaçao de casa em casa com a distribuiçao de Bíblias e trabalho infantil. Assim, ainda na quinta (10), evangelizamos o bairro de San Martin, onde uma das equipes também reuniu as crianças do setor.

À noite, toda a equipe foi distribuida nos grupos pequenos da Igreja local para dar testemunhos e compartilharem a aPalavra de Deus com irmaos e nao cristaos. Eu e Márcia fomos a um grupo que se reuniu literalmente na rua. Cantamos várias cançoes em portugues, o que ajudou a aglutinar os transeuntes. O dia terminou com todos nós exaustos mas gratos a Deus pelo resultado do dia.


Ontem, (sexta - 11), ensaiamos com a equipe da Igreja local para o primeiro culto missionário realizado pela Igreja que aconteceria à noite. Fomos, entao, a tarde, a uma comunidade campesina onde fomos recebidos com um almoço típico. O prato principal, carne de Cui. Um animal muito parecido com o nosso preá no Brasil. Foi gostoso ver o Carlos Jr comer com tanta gana um animalzinho típico do Peru. Porém, os membros da comunidade se mostraram mais fechados para o evangelho do que os outros lugares.


No culto missionário, compartilhamos os desafios para que uma Igreja local possa alcançar o mundo. Logo depois, fomos a uma das praças principais para um trabalho público de evangelizaçao em conjunto com a juventude da Igreja.


Estamos nos últimos dias de açao na cidade de Abancay, e creio que uma profunda marca está sendo plantada na vida da Igreja nesta cidade. os frutos na evangelizaçao tem se mostrado extraordinários. Tínhamos previsto distribuir 300 Bíblias neste lugar. Deixamos com o povo desta cidade mais de 550 exemplares.


Louvado seja Deus por tudo. Ore por nós.


Em Cristo,

Jean Chagas

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Liberdade nas Cadeias - Projeto Peru




Queridos,

Na terça a tarde realizamos o primeiro trabalho infantil. Num unico encontro atingimos 97 crianças com a evangelizaçao e orientaçao para higiene bucal. A noite, tive a oportunidade de ministrar um treinamento para lideres de pequenos grupos que reuniu 42 pessoas.

A quarta começou com um clima de tensao: Os sindicatos peruanos haviam convocado uma greve geral no país e nenhum veiculo podia circular nas ruas. Era possivel ver pessoas com porretes para intimidar qualquer um que nao aderisse a greve. Porem, Deus nos abençoou grandemente, dando-nos a condiçao de evangelizar o bairro de Pueblo Joven pela manha, alcançando dezenas de casas e reunindo 107 crianças.

No período da tarde, dividimos a equipe e alcançamos Condebamba e Prado Alto. A noite os membros da equipe foram distribuidos nos grupos pequenos, onde testemunharam e pregaram. O impacto tem sido crescente em Abancay.

Hoje tivemos um dos maiores desafios para a equipe: Evangelizar e distribuir bíblias no presídio da cidade. Os homens atenderam a populaçao carceraria masculina e as mulheres as quatro detentas da prisao. Para nós, os homens, o desafio era falar a mais de 180 detentos. Para as mulheres o desafio era falar a um grupo pequeno de detentas no qual, uma das internas é acusada do homicídio de 17 pessoas.

Vimos um verdadeiro milagre. Entre os detentos homens, 65 manifestaram publicamente entregar-se a Cristo. Entre as quatro mulheres, tres fizeram uma oraçao de entrega de suas vidas. Entre elas, estava a detenta acusada de tantos homicidios.

A necessidade de bíblias aumenta, e por isso decidimos num ato de fé adquirir mais 400 exemplares. Faltam ainda os recursos para 200 biblias.

Deixo um grande abraço a todos em meu nome e do Ericson.

Em Cristo,

Jean Chagas

terça-feira, 8 de julho de 2008

Força Total na Evangelizaçao - Peru 2008




Queridos,


Gastamos a tarde de ontem em ensaios musicais, preparacao de material infantil e preparando as Biblias para as acoes nos bairros. A noite nos foi oferecido um jantar com os lideres locais da Igreja com o objetivo de compartilharmos experiencias dos dois paises.


Começamos efetivamente adistribuiçaode Bíblias,com aequipe dividida em duas frentes para alcançarmos duas regioes diferentes da cidade. Minha equipe, formada tambem pela Marcia, Gustavo, Tatiane e Carlos Jr, trabalhou em bairro chamado Pueblo Juevene. Um casal de irmaos peruanos esta nos apoiando.


Os primeiros resultados foram maravilhosos. Como a cidade esta num ambiente tenso, envolvido por possibilidade de greve geral nacional e tumultos populares, nosso primeiro encontro no bairro foi com um grupo de trabalhadores em greve. Fiz uma pregaçao pública e 24 pessoas manifestaram o desejo de receber a Cristo. Todos receberam um exemplar da Palavra de Deus com muita alegria. Depois, fomos de casa em casa, pregando e distribuindo a palavra de Deus e os resultados foram se multiplicando.


A outra equipe também logrou grande exito, com muitos testemunhos de quebrantamento e conversoes. Ericson, Geovane, Mirian e Iasmim se juntarao conosco a tarde em Pueblo Juevene onde um grande numero de criancas nos esperam para trabalho de evangelizaçao e orientaçao de higiene bucal.


A noite, ministrarei o curso "Oito Habitos do Lider Eficaz de Grupos Pequenos" para os lideres de celulas da Igreja Local.


Uma boa noticia é que ja conseguimos 200 das 400 Bíblias a mais que precisamos atraves dofundo americano. Necessitamos das oraçoes dos irmaos para o desafio que temos na quinta-feira de pregar na cadeia local. Serao mais de 150 detentos que receberam a mensagem da cruz e serao agraciados com uma Bíblia cada um. Outro desafio é a greve geral do país que mantem umambiente de medo e insegurança na populaçao, o que nao deixa de nos afetar.


Estamos no segundo estado mais pobre do país. A igreja local tem nos recebido com grande alegria e como uma contribuiçao vindo de Deus. A carencia da Palavra é tao grande que na própria Igreja a maioriados irmaos nao possuem Bíblias. Vamos fazer um culto onde estes serao abençoados com um exemplar. Creio que sera um momento comovente: ver irmaos que nunca puderam ter sua Biblia, recebendo este presente que tem o coraçao dos seus irmaos brasileiros.


Que Deus abençoe a todos. Deixo meu abraço em Cristo.


Jean Chagas

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Abancay - Muito Trabalho nos Espera!




Amados,

Depois de uma viagem por uma estrada muito bonita e perigosa, ( 4 horas), fomos muito bem recebidos em Abancay pelo Pastor Manoel e sua esposa Mirtes. Estamos apoiando uma Igreja que foi plantada a cerca de um ano.

O culto de recepçao foi muito caloroso e o Miss. Ericson trouxe a Palavra de Deus depois da apresentaçao da equipe. O pequeno salao estava totalmente lotado e a Igreja nos recebu com uma espectativa gigantesca.

Hoje, pela manha, nos reunimos com o pastor local e foram definidas as açoes para toda a semana. Será um período de muito trabalho: Evangelizaçao de casa em casas em varios bairros; treinamento de lideres de pequenos grupos; encontros específicos para jovens, casais e crianças; Evangelizaçao no presídio; etc.

O ponto culminante em nossa visita a Abancay se dará em dois grandes encontros promovidos pelos irmaos no teatro principal da cidade. Há uma grande espectativa de salvaçao nestes encontros.

A demanda de bíblias parece ser bem maior do que o previsto. Estamos estudando a possibilidade de adquirirmos mais 400 unidades para atender a necessidade que se mostra diante de nossos olhos. porém, isto significa ter que levantar à distancia mais R$ 2.500,00. Esperamos que Deus nos dê a reposta adequada.

Me coraçao se encontra com um misto de profunda alegria e temor diante do que nos espera nestes dias. Como necessitamos das oraçoes de nossos irmaos!

Com amor,

Jean Chagas

sábado, 5 de julho de 2008

Chegada em Cusco e Primeiras Atividades







Amados,

Chegamos ontem em Cusco e nos encontramos com o restante da equipe. Fomos recepcionados por alguns obreiros e irmaos peruanos com grande alegria e entusiasmo.
Hoje foi um dia de preparativos. Depois do café e nossa devocional, nos reunimos com Amilcar e Geovane para definir todos os detalhes da agenda. À tarde, fomos tomar providencias como comprar material para atividades infantis e carimbar as bíblias para distribuiçao.
Amanha partiremos para a cidade de Abancay, onde trabalharemos por uma semana. Parece existir uma grande expectativa nesta Igreja com a chegada da equipe do projeto. Estaremos ministrando logo na chegada nos cultos dominicais.

Algumas grandes bênçaos: Pudemos compartilhar o evangelho com um americano no aviao, filho de um pastor, desviado a muitos anos do evangelho. Ele mostrou-se muito impactato; Tivemos a primeira manifestaçao pública de aceitaçao do evangelho. Trata-se de uma Senhora chamada Lia, dona de um hotel onde fomos tomar banho. Ela tomou uma decisao por Cristo e oramos consagrando sua vida a Jesus.

Necessitamos da intensificaçao da oraçao de todos. Voces estao conosco através da fé. Aleluia!

Perdao pelas limitaçoes no texto. Isto se dá pela dificuldade do uso do teclado peruano. Volto com as notícias de Abancay.

Em Cristo,

Jean Chagas

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Diário de Viagem - Projeto Peru




Queridos,

Chegamos em Rio Branco, no Acre, quarta às 19h. Isto nos deu a oportunidade de descansar e jantarmos adequadamente. Considerando as 46 horas de viagem de ônibus isto foi uma grande bênção.
Logo cedo, após o café, tomamos a estrada de taxi em rumo à fronteira. Gastamos muito tempo nos departamentos de migração, tanto no Brasil quanto no Peru. Até aqui a viagem havia sido muito tranquila.

Agora, estávamos no período mais duro da viagem, a estrada entre a fronteira peruana e a cidade Porto Maldonado. Depois de muita poeira, buracos e uma perigosa balsa, chegamos na quinta à noite.

Agora, vamos para a etapa de chegada em Cusco. Dentro de alguns instantes estaremos tomando o avião em direção à cordilheira andina. Amanhã, pela graça de Deus, daremos início as ações missionàrias.

Estamos em sete pessoas e em Cusco nos juntaremos ao Gustavo e a Tatiane. Na primeira semana de ações, estaremos na cidade de Abancay, onde sei que Deus está preparando grandes coisas. Evidentemente compartilharemos todas eñas com vocês.

A espectativa cresce a cada momento. Orem por nós!

Jean Chagas

terça-feira, 1 de julho de 2008

Projeto Peru - Diário de Viagem




Queridos,


Estou escrevendo de Vilhena, na divisa do Mato Grosso com Roraima. Já rodamos mais de 24 horas e amanhã estaremos chegando em Rio Branco - AC. De lá até Cusco, no Peru, serão mais 10 horas de viagem.

O culto de envio, no domingo, foi muito marcante e significativo. Foi impactante ver a Igreja Luz e alegria do povo com a realização do projeto.
Na segunda, recebemos a notícia de que Sônia não poderia fazer a viagem. Então, Deus abriu as portas para que Márcia, minha esposa, pudesse nos acompanhar. Somos uma equipe de 9 pessoas com esta tarefa gloriosa de evangelizar comunidades peruanas carentes.

Deixo com vocês a imagem de nossa saída na rodoviária de Goiânia, ontem à noite. Orem por nós e pela expansão do Reino de Deus.

Em amor,

Jean Chagas

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Nosso Novo Desafio: Conhecer o Maravilhoso Mestre!


Amados,


A Igreja Luz está vindo de um período de medição no Livro de Atos dos Apóstolos, sob o tema "Cristianismo vivo e nada mais"! Foram cinco meses de leituras diárias na grande narrativa do nascimento da Igreja primitiva, seu desenvolvimento, e a expansão do Reino de Deus, cuja história hoje damos continuidade na presente geração.


Agora, um objetivo grandioso é lançado ante aos nossos olhos: Conhecer com maior profundidade o nosso Amado Mestre Jesus. Será uma peregrinação nos evangelhos, com insites nas profecias do Velho Testamento sobre o Messias.


Se você não mora em Goiânia e gostaria de receber nossa sugestão de guia devocional, mande um e-mail para secretaria@comunidadeluz.com . Nós enviaremos para você, gratuitamente, um calendário devocional com o tema: Jesus, Maravilhoso Mestre!


Como no caso das meditações em Atos dos Apóstolos, estaremos postando devocionais nos textos sugeridos para o novo tema.


Entretanto eu e o Miss. Ericson estaremos em viagem missionária ao Peru durante o mês de Julho/08. Nossas postagens serão mais de notícias acerca da viagem durante este período. Desejamos fazer do blog pastoral um diário da viagem.


Minha oração é que no segundo semestre de 2008 o Espírito de Deus venha revelar-nos a Face do Filho através de sua inefável Palavra. Caminhe conosco no trilho da Luz do Filho de Deus.


Jean Chagas

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Atos 23 - "O Senhor, Pondo-se ao Lado Dele..."


(Leia o Capítulo 23 de Atos dos Apóstolos e Meditemos Juntos)


Resumo do Ensino do Texto:

O capítulo 23 de Atos narra os primeiros desdobramentos de um período longo e turbulento na vida do Apóstolo Paulo. Toda a descrição das situações e cenas revelam tensão, ódio e terríveis perigos. Contudo, em meio a tudo lê-se: "Na noite seguinte o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse: 'Coragem'...!" As palavras que se seguem demonstram que, de uma forma extraordinária, Deus usaria todos os acontecimentos para que o propósito de fazer de Paulo uma testemunha, fosse cumprido até à capital do Império: Roma. Assim, os eventos vão se sucedendo. Não como um emaranhado de casualidades e incertezas, mas numa direção que converge para o propósito do Altíssimo.


Lições Para Minha Vida:

1. A promessa de meu Senhor é estar comigo em todos os lugares e acontecimentos. Mas quantas vezes preciso desta visitação da graça para lembrar-me desta verdade. Não posso deixar a convicção da presença de Deus ceder às condicionantes das circunstâncias adversas;

2. É um grande mistério para mim a capacidade de Deus de conduzir o que me cerca para o eixo de seu propósito. Mas é uma fonte de grande esperança a verdade de que na vida cristã não há casualidade;

3. Talvez a grande dificuldade seja olhar além dos acontecimentos imediatos para ver esta mão soberana que guia o trajeto de minha existência. Preciso que Deus me capacite a ter este olhar no meio do "olho do furacão".


Minha Oração:

"Senhor, louvo o teu Nome pois sei onde estas a cada momento que vivo. Tu não estás distante e sim ao lado! Sou grato porque tu tens a capacidade singular de mover o inimaginável para o centro do teu querer. E o que tu queres é sempre o melhor. Sustenta-me em meio às crises, dando um olhar capaz de perceber a tua mão onde a incerteza e o perigo parecem reinar. Em nome de Cristo, Amém!" (Jean Chagas)

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Atos 14 - Não Existe Indiferença Diante do Evangelho


(Leia o Apítulo 14 de Atos dos Apóstolos e Meditemos Juntos)


Resumo do Ensino do Texto:

Este capítulo é marcado pela narrativa da pregação do evangelho em várias cidades no decursso da primeira viagem missionária de Barnabé e Paulo e o relatório dos resultados à Igreja de Antioquia, que lhes havia enviado. Em cada lugar que a mensagem do evangelho era anunciada, aconteciam reações paradoxias: fé e entrega em muitos e resistência tranformada em oposição em outros. Mas, qual a raíz de reações tão antagônicas diante da mesma mensagem? O evangelho traz em sí uma mensagem de poder e transformação. Onde a proclamação do nome de Jesus se fizer, desafiará a comodidade, as tradições pecaminosas, os valores invertidos e as crenças mentirosas. Portanto, o ouvinte se rende e crê ou nega e opõe-se. Não há nulidade diante da cruz! É perfume para morte ou para vida! É sabedoria de Deus ou loucura para os homens! Fé ou rejeição!


Lições Para Minha Vida:

1. A mensagem da Cruz continuamente desafia o ser humano à mudança e submissão a Deus. Preciso ter um coração quebrantado para não resistir ao poder do evangelho em minha vida;

2. É necessária a disposição de anunciar Jesus não obstante as reações que a proclamação pode produzir. Não devo me iludir com a idéia de que a mensagem ou minha vida cristã serão sempre aceitos. A verdade é que tanto aceitação como oposição fazem parte da experiência do discípulo de Jesus em relação às outras pessoas;

3. A valorização dos frutos colhidos é um antidoto contra a amargura. Ao chegar em Antioquia os missionários celebraram os frutos ao invés de lamentarem as dificuldades. Que Deus me ensine a valorizar o que é positivo e a deixar em suas mãos o lado negativo da jornada.


Minha Oração:

"Óh Eterno, a mensagem de teu Filho é poderosa e transformadora. Dá-me um coração submisso ao efeito da mensagem da Cruz. E que ao anunciar o teu evangelho, as oposições e dificuldades não venham me desanimar e entristecer. Mas direciona o meu olhar aos teus poderosos feitos para louvar-te mesmo nas oposições. Em nome de Jesus, Amém!"

domingo, 13 de abril de 2008

Atos 13 - Uma Missão Quase Impossível!


(Leia o Capítulo 13 de Atos dos Apóstolos e Meditemos Juntos)


Resumo do Ensino do Texto:

O capítulo 13 nos releva o intento do Espírito Santo em designar Barnabé e Saulo para uma grande missão. Eles deveriam ir até ao mundo não judeu para anunciarem que um homem nascido na Judéia, e que havia sido crucificado, ressuscitou, e era a única alternativa de salvação para o homem diante do único Deus verdadeiro. Será que temos a idéia da "loucura" desta mensagem para um mundo politeísta, que relativisava a verdade e totalmente voltado aos prazeres sem limites? Parece uma missão quase impossível! No entanto, a eficácia desta missão está naquele que a convocou. Ele é que convence as pessoas do poder desta mensagem e da salvação que emana da cruz. Por isso, a cada passo a mensagem produz o que é impossível aos homens: conversão!


Lições para Minha Vida:

1. Sou chamado para uma nova vida e um propósito que parece loucura para o mundo em que vivemos. Mas é esta vida e mensagem que contrapõe à frieza e malignidade deste mundo. Quero viver "loucamente" para o meu Senhor!

2. A mensagem do evangelho é simples, direta e poderosa. Que ela nunca se aparte dos meus lábios, tendo a cruz como centro do anúncio de minha fé.

3. Cada cristão tem um ministério e uma missão para cumprir. O Espírito chama a cada tarefa aquele que lhe apraz. Por isso, meu desejo é estar justamente onde o Espírito me designa para estar. Preciso desta sensibilidade continuamente para manter o foco do meu chamado.


Minha Oração:

"Pai Eterno, quanto eu amo o teu evangelho. Agradeço-te por ter me chamado à salvação e ao teu serviço. Por mais que pareça loucura ao mundo, quero viver para ti. Que a tua Palavra não se aperte dos meus lábios. Mantenha-me onde tu queres que eu esteja para servir-te. Louvado seja, pois o que é impossível a mim é possível a ti. Em nome de Jesus, amém!" (Jean Chagas)

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Atos 9 - A Luz no Caminho


(Leia o Capítulo 9 de Atos dos Apóstolos e Meditemos Juntos)


Resumo do Ensino do Texto:

Há um contraste proposital entre esta porção e o capítulo anterior. Os primeiros versos do capítulo 8 fazem questão de registrar a atitude de violência e perseguição de Saulo contra a Igreja. Já o capítulo 9 aponta para uma mudança radical na vida deste fariseu cheio de zelo e ódio. O que ocasiona esta mudança? Uma "luz" inesperada no meio do caminho! A partir daí é claro aos olhos do leitor bíblico que a transformação na vida de Saulo é um ato soberano de Deus, em salvá-lo e comissioná-lo ao ministério apostólico. A continuidade do capítulo nos narra como o ministério do Apóstolo Pedro continua frutífero e dinâmico, inclusive com o registro de um coxo sendo curado e uma mulher piedosa sendo ressuscitada.


Lições para Minha Vida:

1. Sirvo a um Deus soberano, cujo poder pode transformar o mais vil pecador. Nada pode levantar-se contra os seus desígnios. Minha vida em Jesus é o resultado de seu propósito para comigo;

2. É um grande privilégio estar entre aqueles que são chamados a servir a Deus neste mundo. Saber que o resultado da expanção do Reino é o conjunto do uso de muitas vocações, o que deve manter minha dependência dos meus irmãos e minha humildade de reconhecer que eles também possuem este mesmo privilégio;

3. Devo ter muito cuidado em emitir um juízo contra qualquer pessoa. A resistência da Igreja em aceitar Paulo revela como somos limitados em nosso julgamento.


Minha Oração:

"Pai Amado, tu és soberano e Senhor de tudo. Mesmo o coração mais duro não pode resistir ao seu chamado. Por isso, livra-me de ser pressipitado em meus juízos contra os outros, e ajuda-me a cumprir o meu chamado em parceria e amor com os meus irmãos. Em nome de Jesus, Amém!" (Jean Chagas)